Segurados que estão recebendo auxílio-doença podem prorrogar o pagamento do benefício sem serem avaliados por perícia médica presencial enquanto as agências do INSS continuarem fechadas em razão da pandemia de Covid-19. A informação é do advogado especialista em direito previdenciário e sócio de Crivelli Advogados Associados Milton Luiz Berg Jr.

De acordo com ele, essa prorrogação precisa ser solicitada pelo site, pelo aplicativo do Meu INSS ou pelo telefone 135. Caso contrário, o benefício será encerrado.

Milton lembra ainda que o segurado que não tiver condições de voltar a trabalhar e pedir a prorrogação do auxílio-doença, sem passar por nova perícia, receberá um adiamento de um salário mínimo, mesmo que tenha direito a um valor maior.

“O pedido de prorrogação deve ser solicitado nos últimos 15 dias de afastamento. Se perder o prazo, o segurador terá que fazer a solicitação de um novo benefício”, explica.

“O auxílio-doença será prorrogado por 30 dias ou até que a perícia médica presencial retorne”, continua.

Caso não esteja apto para voltar a trabalhar, o segurado pode solicitar a continuidade do benefício até seis vezes. “A prorrogação poderá ser feita por até 6 vezes, ou seja, até 6 meses’, finaliza.