Estima-se que 68% das trabalhadoras nesta função sejam mulheres, e de fato, quem criou a atividade foi uma delas, Ellen Church, mulher aguerrida, visionária e que do sonho de querer pilotar – infelizmente nunca realizado – fez nascer a profissão de aeromoça, hoje conhecida por comissária (o) de voo ou bordo.

 

Em 1930, as profissões ainda eram predominantemente desenvolvidas por homens e, no setor aéreo, não havia mulheres, ainda que uma ou outra Amelia Earhart sobrevoasse o Oceano Atlântico de vez em nunca.

Ellen Church formou-se enfermeira e, no exercício da profissão, teve aulas de voo e adquiriu sua licença de pilota, mas as empresas não queriam contratá-la. Mesmo assim, Ellen resolveu procurar Steve Stimpson, o gerente de operações da BAT (Boeing Air Transport, que viria a se tornar a American Airlines), para pedir uma chance, que igualmente lhe foi negada.

Perspicaz, ela percebeu o medo de voar de muitos passageiros e que poderia auxiliar essas pessoas durante os voos, acalmando-as e, no caso de passarem mal, com cuidados médicos.

Assim, deu a ideia ao mesmo Steve Stimpson para que ele contratasse enfermeiras para cuidar dos passageiros. Os argumentos foram aceitos e sete enfermeiras foram contratadas para a inédita atividade, incluindo Ellen que treinou a equipe.

As primeiras aeromoças foram Ellen Church, Margaret Arnott, Jessie Carter, Ellis Crawford, Harriet Fry, Alva Johnson, Inez Keller e Cornelia Peterman, todas enfermeiras, e a ideia deu tão certo que as demais companhias aéreas passaram também a contratá-las e, dez anos depois, já havia cerca de 1.000 aeromoças no ar.

Gradualmente a exigência de serem enfermeiras foi abandonada e, igualmente, de serem mulheres, e hoje é uma das mais importantes atividades do setor aéreo.

Ellen sofreu um acidente de carro e não pôde mais exercer a profissão, voltando a atuar como enfermeira na Segunda Guerra Mundial e veio a falecer após cair de um cavalo.

Seu idealismo, no entanto, abriu portas para o empoderamento feminino, criou uma profissão relevante e seu nome fez história na aviação mundial.
 

Janaina Ramon é advogada trabalhista e sócia de Crivelli Advogados