O Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, veiculou recente matéria na Folha Bancária nº 6.178, de 30 de janeiro a 06 de fevereiro de 2019, na qual confirma o recebimento de denúncias de que Gerentes do Banco Santander são obrigados a comparecer em feiras livres para a venda de máquinas Getnet (máquinas de crédito/débito de cartões), um dos produtos de tecnologia do Grupo Santander, medida atrelada ao cumprimento de metas exigidas pelo Banco.

Não bastasse terem de ir em locais inadequados para realização de tais vendas, eis que as feiras livres reconhecidamente são locais no qual se enfrenta muito calor sem qualquer estrutura de proteção, ainda são obrigados a tirar fotos nos locais, junto a feirantes, para provar que atenderam as exigências do Banco, não recebendo qualquer acréscimo salarial ou comissionamento.

É sempre relevante destacar que a Convenção Coletiva da categoria bancária 2018/2020, em sua cláusula 39ª, parágrafo primeiro, coíbe ao gestor “a cobrança de cumprimento de resultados por mensagens, no telefone particular do empregado”, caso no qual se enquadra esse envio de “selfies” junto aos feirantes, tornando assim a exigência absolutamente abusiva e descumprindo-se ainda o que fora negociado, sendo essencial denunciar a prática junto ao Sindicato para providências, pois, em que pese as medidas adotadas pelo Sindicato junto ao Banco, a prática continua a ocorrer, conforme a matéria noticiou.

Igualmente, aquele que se sentir prejudicado com a política de metas abusivas praticadas pelos Bancos, pode buscar indenização junto ao Poder Judiciário, pois o Tribunal Superior do Trabalho, órgão máximo da justiça especializada trabalhista, apresenta vasta jurisprudência, ou seja, decisões reiteradas sobre o tema, que afirma o direito à indenização aos empregados submetidos a exageradas políticas de vendas ou condições degradantes de trabalho

Janaina de Santana Ramon
Sócia de Crivelli Advogados. 

 

Imagem: Spbancarios

Fonte: http://spbancarios.com.br/02/2019/santander-faz-bancarios-madrugarem-em-feiras-livres-para-vender