Você sabia que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 6/2019, que instituiu a “Reforma da Previdência Social”, apresenta cinco regras de transição para quem está na iminência de reunir os requisitos para a concessão de aposentadoria?

Essas cinco regras de transição são bastante confusas e complexas, o que dificulta a análise pelos segurados do INSS de qual lhe seria mais favorável.

Para evitar surpresas no momento de requerer sua aposentadoria junto ao INSS, ou ainda, com o valor do benefício, é importante estar preparado.

Com um bom planejamento de aposentadoria é possível determinar, através de criteriosa análise de documentos e elaboração de cálculos, qual regra será mais favorável e qual o melhor momento para se aposentar, buscando o benefício mais vantajoso, através da menor contribuição.

Além disso, apresentar os documentos necessários é requisito de extrema relevância para que o INSS conceda o benefício corretamente, de maneira mais rápida.

O que antes poderia parecer apenas uma comodidade ao segurado, hoje passa a ser uma necessidade, pois planejar a aposentadoria de forma estratégica é a única forma de garantir o melhor benefício.

Assim, antes de apresentar seu requerimento de aposentadoria, seja nessa fase de discussão da Reforma da Previdência, seja após a aprovação das novas regras, procure um especialista em previdência, para planejar, cautelosamente, o seu benefício, e garantir a melhor renda possível.

Milton Luiz Berg Junior é pós-graduado em Filosofia Política e Jurídica e sócio de Crivelli Advogados Associados